By The Uncounscious / Pelo Inconsciente

15 10 2010

 

Above us, an unknown power sleeps
There, in the lunatic dreams, our real wisdom is hidden
The universe’s calling us to rediscover it
The stars feed us with your unseen brilliance

We are swallowed by the vacuum, thrust into a black hole
Here, our spirits merge with the existence
And I call you to sail over the ocean of thoughts, but you insist on just be yourself
Your vision is obscured by clouds
Don’t despair, don’t give up

Overhead, In the infinite forgotten, we can drink from the purest fountain, satiating us forever
Up here, we all float
Just pick one of these abstraction balloons and transcend…

Walking along this galactic highway, we witness all our fears
But they don’t matter
Merely sail and float into your own conscious
Beyond the albatross, all passions are at the even pace
The echoes of serenity spread
In this endless and forgotten way, we are just wandering souls in pursuit of eternal light
No more pain, no more substantial

Just come with me
I can brighten your gloomy eyes
We’ll dive into the secrets underestimated
And then the mirrors will be facing, in a sublime dance
Cherishing our spirits
And nothing else will matter

—————————-

Acima de nós uma estranha força dorme
Lá nos espigos lunáticos, nossa real sabedoria se esconde
O universo nos chama para redescobri-lo
As estrelas nos alimentam com seu fulgor oculto

Somos engolidos pelo vácuo, tragados para um buraco negro
Aqui nossos espíritos se fundem com a existência
E eu te chamo para velejar no oceano dos pensamentos, mas você insiste em ser apenas você
Sua visão está obscurecida pelas nuvens
Não se desespere, não se entregue

No infinito esquecido, acima de nossas cabeças, poderemos beber da fonte mais pura, saciando-nos para sempre
Aqui em cima, todos nós flutuamos
Basta pegar um desses balões de abstração e transcender

Percorrendo essa estrada galáctica, enxergamos todos os nossos medos
Mas eles não mais importam
Apenas veleje e flutue na própria consciência
Para além dos albatrozes, todas as paixões se encontram, em um mesmo ritmo
O eco da serenidade se espalha
Nessa corrente infinita e esquecida, somos apenas almas vagantes em busca de luz eterna
Não há mais dor, nada mais substancial

Apenas venha comigo
Poderei iluminar sua limitada visão
Mergulharemos nos segredos subestimados
E então os espelhos serão confrontados, numa dança sublime
Acalentando nossos espíritos
E nada mais importará

 

Acima de nós uma estranha força dorme
Lá nos espigos lunáticos, nossa real sabedoria se esconde
O universo nos chama para redescobri-lo
As estrelas nos alimentam com seu fulgor oculto

Somos engolidos pelo vácuo, tragados para um buraco negro
Aqui nossos espíritos se fundem com a existência
E eu te chamo para velejar no oceano dos pensamentos, mas você insiste em ser apenas você
Sua visão está obscurecida pelas nuvens
Não se desespere, não se entregue

No infinito esquecido, acima de nossas cabeças, poderemos beber da fonte mais pura, saciando-nos para sempre
Aqui em cima, todos nós flutuamos
Basta pegar um desses balões de abstração e transcender

Percorrendo essa estrada galáctica, enxergamos todos os nossos medos
Mas eles não mais importam
Apenas veleje e flutue na própria consciência
Para além dos albatrozes, todas as paixões se encontram, em um mesmo ritmo
O eco da serenidade se espalha
Nessa corrente infinita e esquecida, somos apenas almas vagantes em busca de luz eterna
Não há mais dor, nada mais substancial

Apenas venha comigo
Poderei iluminar sua limitada visão
Mergulharemos nos segredos subestimados
E então os espelhos serão confrontados, numa dança sublime
Acalentando nossos espíritos
E nada mais importará





Mother

20 09 2010

Música do Pink Floyd sobre a parte mais fundamental e conturbada do laço mãe~filho: a doação de liberdade.

Apreciem!





Minúcias Macroversas

24 08 2010

Tem alguém aí fora ?
Acho que preciso de ajuda… Estou vagando por esse imenso deserto de escuridão
Preso no meu macroverso

Ondas tempestuosas atravessam e inundam minha moral
E tornam meus pensamentos mais claros
Os olhos se abrem
E então percebo um mundo onde as individualidades se sobrepõem
Egos em combate
Egoísmo ao extremo

A morte é demasiada volúvel. Mata-se muito, vive-se pouco.
Vidas que são retiradas como o vento espalha a areia
Os sofrimentos desses seres ofuscam suas capacidades
Seus pseudo-governantes se alimentam de alienação
“Não adianta ser, velho Jack, é preciso ter… TER”

Crianças que abandonaram a infância e já procriam novas peças para esse sistema.
Com tão pouca idade, juventude desperdiçada

Há um objetivo entre eles, meu velho: Poder
Com mais dinheiro, mais poder
Com mais prestígio, mais poder
Com mais bens materiais, mais poder
Seres consternados. Quão intelecto lhes falta

Eles também sofrem, mas tampam os olhos para isso
Permanecem na submissão, no condicionamento
Há entre eles uma praga chamada consumo
Nessa natureza, tudo de material se cria, tudo se consome

Possuem formas de religiões tão dissonantes que lhes faltam deuses para todas elas
Brigam por imaginar um Ser superior tão longe deles, mal sabem que essa força está até dentro dos próprios

Nas grandes entrelinhas desse mundo, e subjugados a outro plano, pessoas morrem por não garantirem-lhes a subsistência
Existe, inclusive, um continente inteiro dessa classe
De um lado, um banquete jogado no lixo, do outro, uma criança juntando as migalhas de um pão velho
Desigualdade certa e impura

Tecnologia é a coluna-mãe de todo esse sistema
O avanço usurpa os sonhos
E torna utópico o desejo da vida coletiva
Máquinas desenvolvidas, eles estão sendo engolidos por elas
Carimbam-lhes na face o selo da opressão
E, o impressionante, eles se acham felizes

Eles não vivem, com certeza
Não experimentaram a verdadeira felicidade
Ainda não se tornaram capazes da vivência plena, não sabem o que é isso
Pensam que tem a vida, mas esta não lhes pertence
O real dono é sempre quem aperta o botão

Acabam com seu próprio espaço
Adeus, lindo céu azul
Tiram de si os tesouros milenares escondidos
Perfuram as camadas do planeta, apenas para render-lhes barris, liquidez… e poder, sempre.
Têm tanto armamento para combater uma guerra iminente, mas são como insetos ao se tratar do combate aos problemas de seus espíritos

Contudo, alguns rumam contra o fluxo
Acreditam na força escondida na alma
Mas são abafados pela maioria dos incrédulos
E se afogam no conformismo

Seres, busquem o imaterial !
Mergulhem nesse precioso lago abstrato
Transfigurem-se e abram mão de suas vaidades
Daí deste pobre mundo, vocês não trarão nada concreto
E então lhes faltarão sentimentos e se arrependerão dos momentos perdidos

Deste meu macroverso, observo estes pobres seres
Criados para serem imagem e semelhança, e não chegam nem perto
Um dia eles hão de acordar dessa falsa vida que levam
Começarão a quebrar o muro que os cercam
E então, finalmente, escreverão sobre sua sincera existência





22 08 2010





Futebol Folclórico

22 08 2010

Um dos grandes destaques do ”jogo folclórico” foi o Curupira. Ele chamou a atenção não só por sua grande técnica, mas pelo fato de só fazer gols de calcanhar.

Já o Saci desfalcou sua equipe, pois uma semana antes jogou contra o time da Mula -sem-cabeça (Felipe Melo), e numa forte dividida perdeu a única perna que tinha. Já estão pensando até em amputar os dois braços dele pra, pelo menos, ele servir de bola.

Mas o principal destaque da noite ficou por conta da bandeirinha, a Iara. Ela deu gol legal pro totalmente impedido Boto Cor de Rosa, além de ter anulado dois gols legais do Buma Meu Boi .

A bandeirinha Iara foi banida do futebol após ter sido flagrado com o próprio Boto. Dois meses, depois pousou nua na playboy e participou de um reality show.

(22 de agosto – Dia do Folclore)





Grande pátria desimportante.

21 08 2010

É meu caros, é tempo de eleição.

Agora chovem carros de som, palanques, papeizinhos distribuídos em qualquer canto, bandeirolas pelas ruas, placas e outdoors construindo a poluição dessa época.

Mais o que mais aparecem nesse período são perguntas. Muitas perguntas.

Primeiro. QUEM SABE PRA QUEM VAI VOTAR PRA DEPUTADO ESTADUAL? Gente. Quem? É quase uma questão existencial. Porque além de já não acreditarmos em partido algum, ainda temos que aturar anônimos ou famosos (BIZARROS) tentando esse posto justamente por quase nunca lembrarmos quem ou o que faz esse ditacujo.

Segunda. Porque cargasd’água essas celebridades cismam em se candidatar? Ok, eu sei. Dinheiro fácil sem trabalhar. Eu sei. Mas GENTE! Mulher fruta, jogador de futebol e cantor de ex-banda adolescente de sucesso É DEMAIS! Porque simplesmente não vivem de mostrar sua bunda, receber dinheiro de programa de auditório trash e/ou tentar um bico na CNT por aí? Mas nãããão! Insistem em perturbar nosso tão pouco juízo com suas asquerosas candidaturas.

Mais uma. Dizem que o Greenpeace e WWF se importam com a natureza. Então dá pra dar uma aparecidinha no CAOS que tá o Rio De Janeiro, e provavelmente em todas as outras cidades do Brasil? É papel no chão (claro. essa gentalha que não sabe pra que serve uma lixeira também merece cair em desgraça), carros de som estourando nossos tímpanos com insuportáveis ruídos músicas ,que por motivos mais insuportáveis ainda não desgrudam de nosso cérebro, placas e “bandeiras” impedindo não só enxergar o que ta na sua frente como também de desviar do FDP que só pra te sacanear o dia vai de dar um encontrão e fazer  com que você quase caia no meio de um mundo de gente.

Agora a pergunta mais sacana e cretina: o que, nós, povo, desejamos pro futuro do país? “O Brasil pode mais” ou “para o Brasil seguir mudando”? Ai, ó pai, daí-nos força. Ou melhor, opção. Se depende disso, ô Brasilsinho, meu filho, tu tá mal.

É pobres brazucas, cá estamos nós num período importantíssimo, mas com tão pouca crença. Nossas vidas são definidas por nós mesmos, mas muitas vezes votamos por diversão, por ser famoso e/ou por promessas falsas. Ah meu Brasil, até quando viveremos nesse mar de impunidade, desespero e miséria? Essa foi a última pergunta.

ps.: Para rir um pouco, aqui vão os candidatos mais bizonhos dessa nossa magnifica eleição 2010

http://www.ospaparazzi.com.br/especiais/candidatos-famosos-querem-o-seu-voto-nas-eleicoes-2010-da-pra-leva-los-a-serio-2389.html





O Início de uma Nova Era

11 08 2010

Ahh como é bom matar saudades do futebol arte… Nos últimos anos a seleção brasileira havia trocado a alegria de jogar futebol pela objetividade que infelizmente não deu certo. Hoje aparentemente tudo mudou. Velocidade, dribles, belos passes. O futebol bonito e jogado com gosto voltou a reinar sob o manto canarinho. Ao menos neste primeiro amistoso, isso nos foi passado. O Brasil esteve organizado tanto ofensivamente quanto defensivamente e não teve grandes dificuldades para vencer os EUA.

Da comissão técnica ao centro-avante, a seleção que entrou em campo no Estádio New Meadowlands, em Nova Jersey, estava toda renovada. Do time titular que jogou a Copa, Mano Menezes só convocou o Robinho, o novo capitão. Este, com apenas 26 anos , é o mais velho do time. Este é o retrato desta nova era, que ainda contou com Ganso, Neymar e Alexandre Pato como estrelas principais.

Assim que a bola rolou, os americanos já nos deram um susto. Aos 2 minutos Donavan, o astro americano, recebeu bom passe, driblou o David Luis e saiu de cara pro gol. Por sorte André Santos chegou para cortar. A Seleção, porém, reagiu rapidamente e envolveu os adversários. Os EUA que jogaram com duas linhas de quatro tiveram dificuldades para conter as jogadas pelas alas. E foi numa delas que André Santos recebeu passe de Robinho, levou até a linha de fundo e cruzou na cabeça de Neymar, que abriu o placar aos 28 minutos.

Entregue ao novo futebol brasileiro, os EUA não conseguia desenvolver suas jogadas e seu goleiro não parava de trabalhar e levar sustos. Até que aos 45 minutos do primeiro tempo, Ramires deu belo passe para Pato que driblou o goleiro Howard e estufou as redes, 2×0.

Os EUA voltaram do intervalo com 3 alterações, enquanto o Brasil permaneceu o mesmo. Boas jogadas continuaram surgindo, mas pecávamos no preciosismo. Aos 11 minutos Braddley estufou as redes brasileiras, mas estava impedido. O Brasil ainda acertou duas bolas na trave, com Robinho e Paulo Henrique Ganso, mas a segunda etapa não foi tão empolgante quanto a primeira. E a torcida, empolgada, calou os norte-americanos com “olé” e gritos de “Brasil, Brasil, Brasil”. Com um festival de gols perdidos, o placar do primeiro tempo acabou permanecendo: 2×0

Nem os mais otimistas esperavam um recomeço tão promissor. Deu gosto de ver a garotada jogar, mas devemos manter os pés nos chão, pois há uma longa caminhada pela frente. Serão 4 anos de muito treinamento e testes para a renovação do time. A garotada terá um bom tempo para amadurecer e poder dar o seu melhor, afinal defender seu país numa Copa jogando em casa não é privilégio para qualquer um. Rumo ao Hexa, Santos Brasil!!!